Fale conosco:
  • Facebook - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza

Um pouco mais sobre a história do Alfabeto Hebraico

10 May 2019

Por ser o Hebraico uma língua milenar, tanto a pronúncia quanto a escrita das palavras deste idioma passaram por diversas transformações.

 

Na Bíblia, por exemplo, há textos escritos no período das monarquias (os reinados) e outros de períodos posteriores, como aqueles que foram escritos após o Exílio da Babilônia, o que compreende vários séculos. Naturalmente, novas palavras foram incorporadas ao idioma e outras foram deixando de ser usadas.


Um aspecto importante que mencionamos na Unidade 1 é que o Hebraico possui um Alfabeto Consonantal. Isto não quer dizer que esta língua não possua vogais, mas sim que as vogais não fazem parte da escrita, embora estejam presentes na pronúncia das palavras hebraicas. E esta não é uma característica apenas da língua hebraica, mas de outras línguas semíticas.


Um outro aspecto a se evidenciar é que a escrita das letras, tal como utilizamos hoje, não é a mesma daquela dos primeiros registros em Hebraico. Há uma escrita de Hebraico primitiva que, após o Exílio Babilônico, deu lugar a uma escrita alfabética advinda do Aramaico e que foi retomada com o Hebraico Moderno, utilizado hoje no Estado de Israel.

 

Apenas o Alfabeto Hebraico Samaritano continua a usar uma escrita semelhante àquela do Hebraico mais antigo.


Os sinais vocálicos, chamados também de Sinais Massoréticos, foram incorporados à escrita muitos séculos mais tarde e são o resultado de um longo período de estudos realizados por diversos grupos de estudiosos judeus que tinham como objetivo garantir a leitura correta das palavras que compõem o texto bíblico.

 

É importante ressaltar que após o Exílio Babilônico e, em particular, depois do ano 70 d.C. – ano da destruição do Segundo Templo – muitos judeus foram forçados a migrar e já não possuíam o Hebraico como sua língua cotidiana. Por isso, os sistemas vocálicos desenvolvidos pelos estudiosos judeus com o intuito de preservar a pronúncia das palavras foram fundamentais para as gerações seguintes. Dentre eles tornou-se mais popular o desenvolvido pelo grupo chamado de Massoretas, que viviam em Tiberíades.


Como todas estas transformações ocorreram ao longo de diversos séculos, você poderá notar, por exemplo, alguns detalhes um pouco distintos de uma mesma palavra em diferentes textos bíblicos. Mas com a prática da leitura e escrita você se sentirá cada vez mais confiante para ler e traduzir os textos da Bíblia Sagrada.

 

 

*Esse texto é parte do material complementar do nosso curso de Hebraico Bíblico, nível iniciante, desenvolvido pela Prof. Fernanda Silveira. 

 

Matrículas Abertas, inscreva-se já! 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter